A B C D E F H I J L M N O P Q R S T U V

DICIONÁRIO   FINANCEIRO

M1 O M1 representa os ativos mais líquidos da economia. É a forma do dinheiro em sua forma mais restrita, os meios de pagamentos. O M1 é composto por moedinhas, papel moeda e depósitos à vista (cheques).
M2 O M2 é composto pelo M1 mais os títulos da dívida pública, que são bastante líquidos.
M3 O M3 é composto pelo M2 mais as cadernetas de poupança.
M4 O M4 é o dinheiro em sua forma mais ampla. É composto pelo M3 mais os títulos de dívida privados.
Margem Montante fixado pelas Bolsas de Valores e de futuro, a ser depositado como garantia em dinheiro, títulos ou valores mobiliários, pelos investidores que atuam nos mercados futuro, a termo ou de opções. A cobrança de margem visa preservar os interesses dos investidores participantes destes mercados.
Diferença entre o preço de venda e o custo de um produto.
Margem Bruta Diferença entre o preço de venda e os custos envolvidos na fabricação de um produto. Esse indicador é uma medida de eficiência na produção.
Margem Líquida Diferença entre o preço do produto e todos os custos e despesas envolvidos na fabricação.
Máximo Cotação mais alta alcançada pelo papel ao longo do dia, até o momento da consulta.
Média Móvel Ferramenta da análise técnica que calcula a média das cotações de fechamento de um papel em um determinado número de pregões, dia a dia. A média é móvel, pois sempre no final do pregão, a cotação de fechamento nesse dia entra no cálculo e a última sai. É usada como um indicador de compra e venda de ações, dando a indicação sempre a linha do gráfico que representa a cotação de fechamento cruza a linha que representa a média móvel.
Médio Média das cotações do papel ao longo dia, ponderada pelo volume financeiro negociado.
Mega Bolsa Novo sistema de negociação da BOVESPA, que engloba o pregão viva voz e os terminais remotos, e visa ampliar a capacidade de registro de ofertas e realização de negócios em um ambiente tecnologicamente avançado.
Mercado a Termo Mercado onde se determinam quantidade, preço e data da liquidação de uma operação.
Mercado à vista Mercado no qual a liquidação física (entrega dos títulos pelo vendedor) se processa no 2º dia útil após a realização do negócio em pregão e a liquidação financeira (pagamento dos títulos pelo comprador) se dá no 3º dia útil posterior à negociação, somente mediante a efetiva liquidação física.
Mercado Aberto Também conhecido por mercado secundário, é onde são negociados títulos públicos já emitidos.
Mercado de ações Segmento do mercado de capitais, que compreende a colocação primária em mercado de ações novas emitidas pelas empresas e a negociação secundária (em bolsas de valores e no mercado de balcão) das ações já colocadas em circulação.
Mercado de balcão Mercado em que as operações não são registradas em Bolsas.Também chamado de "tailor made" ou "customizadas" por atenderem especificações dos clientes, esse mercado abrage não só negociações com ações, mas também com outros ativos. Há duas modalidades distintas desse mercado:
mercado de balcão não organizado: mercado de compra e venda de ativos sem a coordenação de uma Bolsa de Valores, no qual as transações são normalmente conduzidas pelo telefone. São negociadas ações de empresas não registradas em Bolsas de Valores e outras espécies de títulos. Participam deste mercado corretoras, distribuidoras, alguns bancos e pessoas físicas.
mercado de balcão organizado: também chamado de SOMA (Sociedade Operadora de Mercado Aberto), funciona como um "pré-vestibular" para empresas que pretendem mais tarde ter suas ações negociadas nas bolsas de valores. Apresenta como vantagens principais menor custo e menores exigências.
Mercado de balcão organizado Sistema organizado de negociação de títulos e valores mobiliários de renda variável pela comissão de Valores Mobiliários - CVM.
Mercado de câmbio Mercado de trocas entre as principais moedas, respeitando às leis de oferta e procura para a determinação dos preços de compra e venda.
Mercado de Capitais Conjunto de operações de transferência de recursos financeiros de prazo médio, longo ou indefinido, efetuadas entre agentes poupadores e investidores, por meio de intermediários financeiros.
Mercado de Opções Mercado onde são negociados direitos de compra ou venda de um lote de valores mobiliários, com preços e prazos de exercícios pré-estabelecidos contratualmente. O titular (proprietário) de uma opção de compra, paga um prêmio e adquire o direito de comprar o ativo a um determinado preço, até a data de vencimento da mesma ou revender sua opção no mercado. O titular de uma opção de venda paga um prêmio e pode exercer sua opção de venda apenas na data de vencimento, ou pode revendê-la no mercado durante o período de validade da opção.
Mercado Financeiro Mercado voltado para a transferência de recursos entre os poupadores e os investidores. No mercado financeiro são efetuadas transações com títulos de prazos médios, longos e indeterminado, geralmente dirigidas ao financiamento dos capitais de giro e fixo.
Mercado financeiro em concorrência perfeita Mercado com a participação de vários agentes onde nenhum agente tem o poder de interferir no preço, onde não há participação de órgãos governamentais para alterar preços, há livre acesso ao mercado e a informação é homogênea.
Mercado Fracionário Mercado Fracionário é aquele onde são negociados quantidade de ações que não chegam a completar um lotes padrão do papel. Por exemplo, um papel é negociado em lotes padrão de 1000 ações. Se você quiser comprar ou vender 10.000 ações, sua ordem será negociada no mercado inteiro, mas se você quiser negociar 4.500, 4000 ações serão negociados no mercado inteiro e as 500 ações restantes, que não chegam a formar um lote padrão serão negociadas no mercado fracionário.
Mercado futuro Mercado onde são realizadas operações envolvendo lotes padronizados de commodities ou ativos financeiros. Neste mercado, os participantes apostam em cotações futuras destes ativos para se proteger ou simplesmente especular. Por exemplo, se há a crença de que a cotação futura de um ativo será 120 e o mercado precifica em 100, deveria-se comprar este índice futuro.
Mercado Integral Mercado Integral é aquele onde são negociados lotes padrão do papel. Por exemplo, um papel é negociado em lotes padrão de 1000 ações. Se você quiser comprar ou vender 10.000 ações, sua ordem será negociada no mercado inteiro, mas se você quiser negociar 4.500, 4000 ações serão negociados no mercado inteiro e as 500 ações restantes, que não chegam a formar um lote padrão serão negociadas no mercado fracionário.
Mercado primário É nele que ocorre a colocação de ações ou outros títulos, provenientes de novas emissões. As empresas recorrem ao mercado primário para completar os recursos de que necessitam, visando o financiamento de seus projetos de expansão ou seu emprego em outras atividades.
Mercado secundário No qual ocorre a negociação dos títulos adquiridos no mercado primário, proporcionando a liquidez necessária.
Mercados perfeitos Mercados onde há inúmeros produtores com pequena participação no mercado, portanto, nenhum deles tem o poder de alterar o preço e, por isso, tomam o preço como dado em suas decisões de produção.
MERCOSUL Sigla para Mercado Comum Sul Americano Associação formada entre Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai com o objetivo de fortalecer estes países, aumentando a integração entre eles e unificando suas políticas setorial e macroeconômica.
Merval Índice da Bolsa de Valores Argentina. Representa as ações mais negociadas do mercado argentino.
Meta Segmento de negociação eletrônica da BOVESPA, apoiado no estabelecimento de preço base de negociação uma vez ao dia (fixing) e na atuação do Promotor de Negócios, que é uma pessoa jurídica, indicada pela empresa, que assume o compromisso de registrar diariamente ofertas firmes de compra e venda para o papel no qual se registrou, de acordo com normas regulamentares determinadas pela BOVESPA.
Mínimo Cotação mais baixa alcançada pelo papel ao longo do dia, até o momento da consulta.
Moderado Nome comumente dado aos fundos de investimento que buscam obter uma rentabilidade média no mercado. Para isso, os recursos são investidos em ativos de médio risco. Também usado para designar um tipo de perfil de investidor que prefere esse tipo de fundo. Situação intermediária entre o conservador e o agressivo.
Moeda de Privatização Títulos usualmente negociados com deságio, que são aceitos pelo governo brasileiro nas privatizações.
Moeda Podre Títulos de dívida que são negociados no mercado com deságio devido à dúvida sobre a capacidade do emissor em efetuar o pagamento no vencimento.
Monopólio Forma de organização do mercado em que uma empresa domina a oferta de um determinado produto ou serviço que não pode ser substituído. A legislação da maioria dos países proíbe o monopólio, com exceção dos exercidos pelo Estado, geralmente em produtos e serviços estratégicos.
Moratória Prorrogação de prazo solicitado pelo devedor, ou concedido pelo credor, para pagamento de uma dívida.
MSCI Sigla para Morgan Stanley Capital International
Índice criado pela Morgan Stanley para acompanhar o desempenho das bolsas de valores. Para medir o comportamento das bolsas brasileiras, existe o MSCI -Brasil.
Multimercados com Renda Variável Classificam-se neste segmento os fundos regulamentados pelo Banco Central ou pela CVM que busquem retorno no longo prazo através de investimento em diversas classes de ativos (renda fixa, câmbio, por exemplo), incluindo renda variável (ações, etc.). Procuram agregar valor utilizando uma estratégia de investimento diversificado e não se utilizam de alavancagem.
Estes fundos não têm explicitado o mix de ativos com o qual devem ser comparados (asset allocation benchmark) e podem, inclusive, ser comparados a parâmetro de desempenho que reflita apenas uma classe de ativos (por exemplo: 100% CDI).
Multimercados com Renda Variável Alavancado Classificam-se neste segmento os fundos regulamentados pelo Banco Central ou pela CVM que busquem retorno no longo prazo através de investimento em diversas classes de ativos (renda fixa, câmbio, por exemplo) incluindo renda variável (ações, etc.). Estes fundos procuram agregar valor utilizando uma estratégia de investimento diversificado, podendo também se utilizar de estratégias que impliquem em alavancagem dos recursos.
Multimercados sem Renda Variável Classificam-se neste segmento os fundos regulamentados pelo Banco Central que busquem retorno no longo prazo através de investimento em diversas classes de ativos, exceto renda variável. Estes fundos procuram agregar valor utilizando uma estratégia de investimento diversificado, não se utilizando de alavancagem.
Multimercados sem Renda Variável Alavancado Classificam-se neste segmento os fundos regulamentados pelo Banco Central que busquem retorno no longo prazo através de investimento em diversas classes de ativos, exceto renda variável. Estes fundos procuram agregar valor utilizando uma estratégia de investimento diversificado, podendo inclusive se utilizar de alavancagem.
Mutualismo Reunião de um grupo de pessoas, com interesses seguráveis comuns, que concorrem para a formação de uma massa econômica com a finalidade de suprir, em determinado momento, necessidades eventuais de algumas daquelas pessoas.