CRENDICES

Cruzar com gato preto na rua dá azar.

Jogar sabão para Santa Clara faz parar de chover.

Chinelo ou sapato com a sola virada para cima, o pai ou a mãe podem morrer.

Sol com chuva, casamento de viúva.

Apontar estrela com o dedo faz nascer verruga.

Mulher que tem o segundo dedo do pé maior que o primeiro, manda no marido.

Cortar cabelo na Sexta-feira Santa não cresce mais.

Vassoura atrás da porta espanta visitas.

Sexta-feira 13 é dia de azar.

Agosto é mês do desgosto .

Assobiar à noite chama cobra.

Comer manga com leite faz mal.

Jogar sal no fogo espanta o azar.

A pessoa que é pulada não cresce mais.

O número 7 é o número da mentira.

Quem passa debaixo do arco-íris vira mula - sem - cabeça.

Quem come banana à noite, passa mal.

Quem canta na quaresma vira mula - de - padre.

Quem comer muito à noite terá pesadelos.

Passar debaixo da escada é má sorte.

Quebrar um espelho, dá sete anos de azar.

Colocar bolsa no chão faz o dinheiro acabar.

No mundo todo, a passagem do ano é cheia de rituais, simpatias e superstições -- e boa parte deles tem a ver com o que comemos ou bebemos (ou arremessamos) na última noite do ano:

No sul dos Estados Unidos, acredita-se que se você comer ervilhas na ceia, terá sorte no Ano Novo. A sorte aumentará se o prato for acompanhado de repolho verde.

Chocolate tem a fama de atrair riquezas, mas se você quer um ano cheio de sexo, nada supera uma ostra - recomendam os gregos.

Na costa noroeste dos Estados Unidos, o pessoal come salmão para atrair coisas boas no ano vindouro.

A tradição também diz que quem come o bolo de São Basílio, uma guloseima também conhecida como "Bolo dos Reis" é uma das favoritas. Diz a lenda que apenas a dona da casa pode fazer esse bolo redondo, e que no momento de levá-lo ao forno ela deve estar usando suas melhores roupas e jóias. Na massa que vai ao forno, há moedas e outros pequenos objetos. Antes de servir, usa-se um copo para cortar a porção central, fazendo com que o doce ganhe o formato de um anel. A porção central é oferecida ao santo e só então o bolo pode ser cortado. Aqueles que encontrarem algum "tesouro" na sobremesa terão sorte o ano todo.

Os alemães acreditam que o primeiro alimento consumido no ano que chega devem ser panquecas.

Os espanhóis correm contra o relógio. Segundo a tradição, durante cada uma das 12 badaladas da meia-noite come-se uma uva grande, o que garante a sorte para o resto do ano - mas só para quem lograr o intento antes que o relógio se cale.

Já os italianos, assim como os brasileiros, acreditam que uma colherada de lentilhas é sinônimo de dinheiro no novo ano, enquanto a carne de porco, bem gordurosa, simboliza prosperidade e progresso.

Os japoneses, por sua vez, consomem comem uma sopa chamada ozoni -- feita de arroz, massa e vegetais. É um tipo de elixir que acalma um estômago irritado e afasta os rancores.

Um bolo embebido em licor é tradição na Irlanda, na "Noite dos Grandes Pratos" (véspera de Ano Novo). Comer porções generosas nesse dia significa, para os irlandeses, dispensa cheia o ano todo. Chamado Barm Brack, cheio de especiarias e uvas passas, normalmente, após mordido 3 vezes pelo dono da casa, é arremessado contra a porta principal. O procedimento, acreditam, afasta a fome daquele lar durante todo o próximo ano.

Uma tradição escocesa chamada "First Footing" (algo como "primeiro a pisar") diz que a sorte que você terá no ano vindouro depende de quem for o primeiro a entrar em sua casa. Caso seja um estranho de cabelos escurso segurando um pedaço de pão, uma moeda de ouro e um pedaço de carvão, não se pode esqueçer de lhe servir uma bebida forte e um bolo de frutas embebido em uísque para ter sorte o ano todo.

Os espanhóis fazem a contagem regressiva para o Ano Novo, comendo uvas - uma por segundo.