CASUAR

Nome comum: Casuar
Nome científico: Casuarius casuarius
Nome em inglês: Southern Cassowary
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Casuariiformes
Família: Casuariidae
Altura: até 1,5m
Peso: até 60 kg
O Casuar tem na testa uma crista óssea protuberante, de aspecto estranho e aparentemente sem utilidade. A cabeça e o 

pescoço são azuis, com barbelas (dobras de gordura) vermelhas no pescoço. Esconde-se de dia em arbustos cerrados e, em geral, sai à noite. Atravessa com rapidez as moitas mais densas, rompendo os galhos com as asas, que tem penas muito resistentes. Chega a saltar quase 1 m e nada bem. O casuar é uma ave de mau gênio. Fica zangado com facilidade e tem acessos de raiva à menor contrariedade. Ataca o inimigo com seu bico afiado e com as garras, que, nos dedos do lado de dentro, chegam a 20 cm de comprimento. Conhecem-se algumas histórias, muitas sem fundamento, de gente morta em conseqüência desses ataques. A fêmea põe de três a seis ovos grandes, de cor verde-escura. O macho os choca durante sete semanas. Ao nascer, os filhotes estão cobertos por uma penugem bege, riscada de marrom. O pai e a mãe cuidam deles. A diferença entre as três espécies de casuar existentes está basicamente na cor da barbela. Vivem ao norte da Austrália, Nova Guiné e ilhas adjacentes. Vive só ou em grupos pequenos. Alimenta-se de frutos, insetos e aranhas.

COMBATENTE

Nome comum: Combatente
Nome científico: Philomachus pugnax
Nome em inglês: Ruff
Nome em espanhol: Combatiente
Nome em italiano: Combattente
Nome em francês: Combattant varie
Nome em alemão: Kampfläufer
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Scolopacidae
Tamanho do macho: de 27 a 30 cm
Tamanho da fêmea: de 19 a 25 cm
Cor: Muitas combinações de cores. 

O combatente é um tipo de maçarico-europeu. Na época e acasalamento, os machos se reúnem numa área própria, que dividem em territórios. Ali eles se exibem, cada um mostrando sua plumagem exuberante. Eles são capazes de inflar a plumagem do pescoço, formando um colar majestoso e multicolorido. As fêmeas não têm a crista e o colar próprio dos machos. Reúnem-se em torno do local onde os machos se exibem e abaixam-se. Isso indica que estão prontas para o acasalamento. Sempre há um macho dominador que se acasala com a maior parte das fêmeas. Os ninhos são escavados no chão. As fêmeas botam 3 a 4 ovos e se sentam sobre eles durante 17 a 19 dias. Depois do choco os machos perdem a plumagem especial. Seu aspecto, então, fica bem semelhante ao de qualquer outro maçarico. Os indivíduos dos dois sexos vivem separados fora da época de acasalamento. Como acontece com a maior parte dos pernaltas, os maçaricos podem ser encontrados freqüentemente em pântanos e alagadiços. Alimentam-se de insetos, vermes e algas de água doce. No outono, migram para o sul. Alguns chegam à Austrália. A migração é feita principalmente à noite.

CORUJA-BURAQUEIRA
Speotyto cunicularia

Ordem: Strigiformes
Família: Strigidae
Gênero: Speotyto
Espécie: cunicularia
Nome em inglês: Burrowing Owl
Ovos: de 7 a 9
Incubação: 28 a 30 dias
Habitat: Vivem nos campos e cerrados de todo o Brasil.
Tamanho: 21.6 a 27.9cm
Peso: 170.1 g
Envergadura: 50.8 a 61.0 cm

Hábitos Alimentares: Alimenta-se de pequenos roedores, répteis, anfíbios, pequenos insetos, pequenos pássaros como pardais, escorpiões, etc...
Sinônimo recente:
Athene cunicularia
A coruja-buraqueira possui este nome pois vive em buracos cavados no solo. Embora seja capaz de cavar sua própria cova, vivem nos buracos abandonados de tatus, cachorro de pradaria e tocas de outros animais.
De porte pequeno, a Coruja-buraqueira possui uma cabeça redonda, tem sobrancelhas brancas, olhos amarelos, e pernas longas. Ao contrário a maioria das corujas o macho é ligeiramente maior que a fêmea e as fêmeas são normalmente mais escuras que os machos. É uma ave tímida, por isso, vive em lugares sossegados. Durante o dia ela cochila em seu ninho ou toma sol nos galhos de árvores. Possui uma visão 100 vezes mais penetrante que a visão humana e uma ótima audição. Tem vôo suave e silencioso. Para 
enxergar alguma coisa ao seu lado ela tem que virar a cabeça, pois seus grandes olhos estão dispostos lado a lado, num mesmo plano. Por alimentar-se de insetos, é muito útil ao homem, beneficiando-o na agricultura. Come pequenos roedores (ratos), insetos e cobras. A coruja buraqueira anda sem destino enquanto caça, e depois de pegar sua presa vai para um puleiro, como uma cerca ou pousa no 
próprio solo. São aves principalmente crepusculares (ativo ao entardecer e amanhecer), mas caçará, se preciso, ao longo de 24 horas. A reprodução da coruja-buraqueira começa entre março ou abril. Ela faz seu ninho em buracos no solo, aproveitando antigas tocas de tatu ou de outros animais. O casal se revezando, 

alarga o buraco, cava uma galeria horizontal usando os pés e o bico e por fim forra a cavidade do ninho com capim seco. As covas possuem, em torno de 1,5 a 3 m de profundidade e 30 a 90 cm de largura. Ao redor acumula estrume e se alimenta dos insetos atraídos pelo cheiro. Botam, em média de 6 a 11 ovos; o número mais comum é de 7 a 9 ovos. A Incubação dura de 28 a 30 dias e é executada somente pela fêmea. Enquanto a fêmea bota os ovos, o macho providencia a alimentação e a proteção para os futuros filhotes. Os cuidados da cria, enquanto ainda estão no ninho são tarefa do macho. Quando os filhotes estão com 14 dias podem ser vistos empoleirando a entrada da cova, esperando pelos adultos e pela comida. Os filhotes saem do ninho com aproximadamente 44 dias e começam a caçar insetos quando estão com 49 a 56 dias.
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
Brasil brasilidade busca coleções curiosidades dicionários
diversão Felipe folclore leis mensagens miscelânea