ÁGUIA-FILIPINA

Nome científico: Pitecophaga jefferyi
Outro nome: águia-pega-macacos
Filo: Chordata

Classe: Aves
Ordem: Falconiformes
Família: Accipitridae
Comprimento: 80 a 100 cm
Envergadura: 1,5 m
Alimentação: Sua dieta consiste em macacos e grandes pássaros.

Ninho: faz seu ninho no topo das árvores mais altas das florestas tropicais.
Habitat: é encontrada somente nas ilhas Filipinas
Características físicas:
É castanho-escura nas costas e branca no ventre. Na cabeça leva uma crista de penas, como se fosse um manto. As asas são relativamente curtas e redondas, enquanto a cauda é comprida e reta na extremidade. Possui pernas poderosas com garras enormes e bico estreito e recurvado.
Ninhada: 1 a 2 ovos chocados por ambos os pais
Período de incubação: 2 mês - nunca se reproduz em cativeiro
Pio: Surpreendentemente seu grito é um assobio suave: huiiu
Até recentemente os zoológicos de todo o mundo queriam exibi-la. Hoje, porém, evitam importá-la, uma vez que a espécie está em sério perigo de extinção; há menos de cem indivíduos vivos. Para agravar a situação, ter essa águia empalhada tornou-se símbolo de status entre os filipinos.

ÁGUIA-PESQUEIRA

Nome científico: Seu nome científico é Pandion haliaetus. É o único membro da família dos Pandionídeos, ordem dos Falconiformes.
Outro nome: Gavião-pescador ou Águia-pescadora, nome comum de uma ave de rapina cosmopolita, que na América Latina também é conhecida como águia-do-mar, guincho ou sangual. Recebe também os nomes de águia-pesqueira e gavião-papa peixe.
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Falconiformes
Família: Pandionidae
Envergadura:
até 1,70 m

Alimentação: Alimenta-se exclusivamente de peixes.
Ninhos: feitos de galhos secos, algas e musgo, são construídos no alto das árvores ou sobre os rochedos. Aí a fêmea choca seus quatro ovos durante cinco semanas.
Filhotes: 4 ovos
Tempo de incubação: 5 semanas
Tempo de permanência dos filhotes no ninho: 30 dias
Habitat: Vive na parte ocidental da América do Norte, América Central e Antilhas, de onde emigra para a América do Sul. Habitam as regiões costeiras ou próximas de lagos e rios. No fim do verão, as águias-pesqueiras deixam a região onde reproduzem e partem para o sul. Mas, na primavera seguinte cada casal vem procriar exatamente no mesmo lugar.
Características físicas: As águias-pescadoras ou marinhas têm bicos mais longos e pesados que os das águias-reais. Além disso, carecem de penas na parte 

inferior das patas. A barriga é branca, asas escuras e possuem uma faixa escura do olho à nuca. Ao contrário da maioria das aves pescadoras, que apanham os peixes com o bico, a águia-pesqueira, ou aurifrísio, como também é chamada, pega-os com suas garras de unhas compridas e dedos escamados e rugosos. Assim, depois do vôo em mergulho - às vezes, de mais de 100 m de altura, a águia-pesqueira precisa se endireitar para agarrar o peixe. Dizimada pelos caçadores, envenenada pelos inseticidas absorvidos pelos peixes, a águia-pesqueira é, além disso, vítima dos ladrões de ovos (gralhas, gaivotas e colecionadores). por isso, é cada vez mais rara na Europa e na América do Norte.

 
 

ARARA AZUL

Nome vulgar: Arara Azul
Nome em Espanhol: Guacamayo Jacinto
Nome em Francês: Ara hyacinthe
Nome em Inglês: Hyacinth Macaw
Nome em Alemão: Hyazinthara
Classe: Aves
Ordem: Psittaciformes
Família: Psittacidae
Nome científico: Anodorhynchus hyacinthinus
Nome inglês: Hyacinthine Macaw

Distribuição: Interior do sul do Brasil, Maranhão,

Bahia, Mato Grosso, Minas Gerais e Goiás.
Habitat:
Buritizais, matas ciliares e cerrado adjacente
Hábitos: Têm o vôo pesado, no entanto são capazes de descrever curvas fechadas
Longevidade: 30 a 40 anos
Maturidade:
3 anos
Época reprodutiva: Novembro a Janeiro
Gestação: Incubação: 30 dias
Nº de filhotes: Dois filhotes
Alimentação na natureza: Semente e frutas
Alimentação em cativeiro: Amendoim, girassol, milho verde, coco seco, banana, mamão e laranja
Causas da extinção: Caça e Destruição do meio ambiente
Menos dotada que seus parentes, os papagaios, a arara só é capaz de aprender algumas palavras isoladas. Desde o século XVI as araras são muito procuradas como bichos de estimação e, antigamente, possuir uma arara era sinal de grande riqueza.
As araras maiores e mais coloridas são encontradas nas florestas tropicais das Américas. São freqüentemente caçadas e mantidas em cativeiro. Existem 18 espécies de arara, todas com bico forte, língua carnosa e cauda longa em forma de espada. O bico forte permite que elas escavem o tronco das árvores para comer larvas de insetos. As araras, em geral, fazem ninhos no oco de árvores como palmeiras. Os ovos são postos na primavera e os adultos alimentam os filhotes regurgitando a comida. Com seis meses de idade as araras já são bichos adultos.
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
Brasil brasilidade busca coleções curiosidades dicionários
diversão Felipe folclore leis mensagens miscelânea